sábado, 9 de agosto de 2008

GRÊMIO

Enaltecendo esse grande time, campeão dos campeões, o-time-do-topo, primeiro-lugar-no-ranking-da-CBF, essa maravilha gaúcha que é o time do Grêmio, vou postar um texto cuja autoria eu desconheço, mas que é impossível ler sem sentir o coração bater mais forte.

___________________________________________________________________
SOBRE O GRÊMIO FOOT-BALL PORTO-ALEGRENSE:

O Grêmio não é um time somente brasileiro. O Grêmio é um time cisplatino, com ascendência germânica, fibra inglesa e sangue nas veias. Sangue azul, evidentemente. Grêmio com chuva, lama e alma castelhana. Grêmio do primeiro jogo com neve na história do Brasil. Grêmio aos 44 e meio do segundo tempo. Grêmio cobrando tiro de meta como se fosse pênalti decisivo. Grêmio jogando com o regulamento debaixo do braço e o coração pulsando debaixo do distintivo. Grêmio perna-de-pau, bola na rede. Grêmio 0x0 com chuva: faixa no peito e taça no armário. Grêmio pegando 2 pênaltis, com 4 jogadores a menos... E em seguida fazendo o gol do título. Grêmio chegando junto – de preferência na bola, mas se tiver que ser na canela, faz parte do jogo, meu chapa.

Grêmio do prata, medalha de ouro. Grêmio em farrapos, nunca em frangalhos. Grêmio farroupilha enfrentando os imperiais. Grêmio altivo e imperial. Grêmio libertador. Grêmio guasca, gaudério e changador. Grêmio mosqueteiro – um por todos e todos por um. Grêmio amarrando os cavalos no obelisco. Grêmio hepta, Grêmio tetra da Copa do Brasil, Grêmio Bi do Brasileiro e da Libertadores. O Grêmio tri!


Grêmio de futebol – e futebol de verdade, sem firula, sem vergonha, sem frescura. Grêmio Porto-Alegrense mas que poderia ser, e foi e é, de Liverpol, de Montevidéu, de Saint-Louis, de Medellín, de Tóquio, de Vacaria, do Alegrete, de Bagé, de Pelotas, de Cacimbinhas, de Canela, de Não-Me-Toque, de Passo Fundo, do quinto dos infernos, de onde Judas perdeu as chuteiras (e o jogo, pois na hora H quis fazer uma embaixada por $30). Grêmio Fênix, que nunca foi Íbis. Grêmio galo-de-rinha. Grêmio charrua e minuano, com doses cavalares de bravura. O Grêmio da várzea da Baixada, o olímpico Grêmio!


GRÊMIO, CAMPEÃO DO MUNDO. NADA PODE SER MAIOR - e isto sim é uma entrada dura nos corações e mentes daqueles que sempre torceram contra o Grêmio. E estar no topo, esse lugar solitário, não é mera vontade, meu amigo. É o destino de quem nasceu com inconformismo ante a derrota!

Um comentário:

Eudes disse...

Imortal Tricolor!